quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Tempos de Vida


Tempos de vida


o furo
a testa

a gaita de foles
que empresta à paisagem
o lúdico da dança

e a festa
que não se acaba

[ou não percebe que já se acabou]



Eliana Mora, novembro/2019

terça-feira, 26 de novembro de 2019

A cruzar pensamentos



A cruzar pensamentos


"Vesti" a cama
saí do sonho
acabei por nadar
na realidade


[de fato
a gente pode construir
o chão]


Eliana Mora, 17/11/19

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Pulsação e certeza


Pulsação e certeza

.
...
A milhões de anos luz daqui
encontrarei o meu lugar
onde minha voz
livre
possa expressar tudo o que sinto
dia a dia
enquanto a vida
pulsar
e alegre
pousar
.
sobre mim

...
Eliana Mora, 11/11/19

terça-feira, 5 de novembro de 2019

PROVA


Prova



A  terra
roubada de mim
endureceu
rachou-se toda.
E, desta forma, ali foi revelado
o que pode acontecer
com o roubo 

de um sonho
de amor.




Eliana Mora, 04/11/19

domingo, 20 de outubro de 2019

Aqui Jaz


Aqui Jaz



Meu corpo se divide em dois - e chora
toda a beleza de te amar
se veste, assim,
com retalhos de cetim
e canta
toda a beleza de te amar

porque chorar
muitas vezes não compensa
amar sim
aumenta a temperatura dos pés
arrasta a fase obscura ao fim do viés
e rasga
a necessidade de parar
.
meu corpo veste a ti
hoje [ainda]
porque assim o quer

.
.
[por que nele ainda jaz]




Eliana Mora, 24/setembro/2019


terça-feira, 8 de outubro de 2019

Recita-me


Recita-me

.


Retira-me daquele esconderijo
en-canto de um profundo mar
onde vivem irmãs de boas águas
paradas nos cálices de noites
onde borbulham faltas e ausências
- e onde não há caramujo algum
que saia do seu canto úmido
e que deslize uns dedos longos
pela pele meio fria

do meu corpo
.




Eliana Mora, três de outubro de 2001
In: Mar e Jardim [2003]
.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Conversa de pé de Ouvido


Conversa de pé de Ouvido



Aqui,
hoje,
coloco meus pés

e peço à minha alma 
simples
que não padeça

da falta de amor.


[P.S.  Se preciso for,
usar óculos escuros]



Eliana Mora, 17/10/2015

[Baú]

Tempos de Vida

Tempos de vida o furo a testa a gaita de foles que empresta à paisagem o lúdico da dança e a festa que não se acaba [ou não ...