sexta-feira, 21 de abril de 2017

O poder de uma força


O poder de uma força



Enquanto sua vida declinava
naqueles instantes em que sua força parecia lhe faltar
ela pôde vislumbrar o que queria
distante estava
e no entanto em que segundo
[um átimo de segundo]
ela ao chorar foi tão sincera
disse apenas que chorava somente 

por ela

Era o instante em que temia por sua sanidade
e no entanto conseguia ser 

apenas ela

Sim
chorou por si
e assim sentiu a força 


da verdade




Eliana Mora, 21/04/2017

terça-feira, 18 de abril de 2017

A força da Aquarela



A força da Aquarela



As escadas de uma dor 
são circunflexas
caracoleiam em tua cabeça
circunvagueiam em parafuso 
no teu pensamento
como fossem telas abstratas 
de um pintor meio esquecido
que afixaste nas paredes

do porão 




©Eliana Mora, 08/07/2001 

[Baú]

domingo, 16 de abril de 2017

Longa Avenida



Longa avenida.




O choro dourado de um menino
[ali atrás]
mostra o tempo quase escuro
daquela manhã

que a qualquer momento
pode se transformar

em lucidez




Eliana Mora, 26/04/2017

quinta-feira, 13 de abril de 2017

V i d a


Vida



Por vezes nela penso como algo que tem asas 
unhas 

até dentes

Deusa
a quem nos vamos ofertar
e que ao transformar-se em obra-prima
torna-nos

escravos



Eliana Mora, sem data

domingo, 9 de abril de 2017

A m p a r o



Amparo



útero
ninho
porto
cais

e toda tristeza do mundo
se desfaz

ali
onde teu céu

te abraça



Eliana Mora, 9/04/2017

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Expresso sem número


Expresso sem número 




todo meu ontem
sai dos trilhos agora
e  ao que imagino
para tão cedo não voltar mais

sai dos trilhos
sai dos laços
sai de todos os fracassos
para se soltar
porque assim pode quem sabe
até mesmo encontrar


uma fronteira
uma trincheira
para que
sabe-se até quando
possa eu empurrar meu bonde
ou trem

expresso
impresso
colado
calado

[além]




Eliana Mora, 04/4/2017

Antigas cartas de Amor



Antigas cartas de Amor


Queria ver certas flores
como lírios das cartas de um poeta
Assim, por certo,
eu as reconheceria,
pelo brilho desértico das pétalas
pelas asas escondidas
pelas letras tortas
adocicadas

[por tudo que dizias]


Eliana Mora, 03/2012

sexta-feira, 31 de março de 2017

O c e a n o


Oceano



Um breve passo
e já estou lá
ao menos a imaginar
como seria voltar a sentir
aquela água macia
meio fria
de um verde azul
dos sonhos
de minha infância

Gosto da palavra oceano
oceano é amplitude
possibilidade
cor e festa
em quase tudo conseguir
ambiguidade

em cada gota
[vai saber]
o sonho líquido

da vida

e dentro dele
essa tal


felicidade 



Eliana Mora, 25/03/2017

sexta-feira, 24 de março de 2017

Conquista/dor


Conquista/dor



Eu sei 

que a minha dor é estrangeira
o passaporte já venceu
e ela ficou

e vive aqui a organizar muitas 

entradas e bandeiras
sem saber bem  qual o terreno
onde pisou

Faz muito mal 
porém recebe alguns sinais 

de advertência

de uma soldada 
graduada

em Resistência



Eliana Mora, 2003
In: Mar e Jardim

terça-feira, 14 de março de 2017

Natureza [humana]


Natureza [humana]



Praticar tua terra
no que toca à semente
ao plantio


Dever interno
qualidade
emotividade


Execução -pleito divino


[vida elemental]




Eliana Mora, 11/03/2017

segunda-feira, 13 de março de 2017

Zero Hora



Zero hora


Tiveste-me todo o tempo
o tempo todo

mas meus ponteiros
agora

recusam-se
a te marcar



Eliana Mora, 2001
Baú 

terça-feira, 7 de março de 2017

Novos 'Originais'


Novos 'originais'



A cópia da minha vida
terá muito pouco a ver 
com o original

...mas que original?
[perdi a conta dos que rasguei]

hoje faço - ou tento fazer -
rascunhos bem caprichados
riscados a bico de pena


traduções 
da minha alma

[o oposto de pequena]





Eliana Mora, 7/03/2017

Relógio de Dali


Relógio de Dali 




Dias estão a esperar
dias então a rolar
acima - e abaixo - do meu mar
que difere dos outros em tamanho de ondas
em sabor das ondas
em sal 
ardor e ar


[entendes?]





©Eliana Mora, 27/05/2010