domingo, 14 de maio de 2017

Um mapa muito bem traçado


Um mapa muito bem traçado



Sina só sua.
Totalmente estranha
possível
intransferível da galáxia X
mas direto para ela
sob medida
sem dor
nem ferida
e além do mais
plenamente vivida
sob os auspícios da deusa Terra

[e de todos os mestres
da poesia viva]




Eliana Mora, 09/5/2017

terça-feira, 9 de maio de 2017

Entreato


Entreato



Enquanto lia a lua
podia registrar
alguns dizeres mágicos
na Terra
ou a caminho da Terra
em que aos poucos se adequava

E assim

de va gar 
imaginava 
a quantos dias luz iria estar 
mais perto 

de si mesma




Eliana Mora, 09/05/2017

sábado, 6 de maio de 2017

Sem endereço, sem destino, sem porquê


Sem endereço, sem destino, sem porquê



Onde estará minha alegria?
Um pouco acima da linha do Equador?
Do lado de lá das Tordesilhas?


Para onde levo um pouco da energia
que atravessa todos os portais
e esbarra num muro 

transparente
vazio  
delinquente

porque de mim herdou 
alguns dos sais?

Extravasar.
Não é um verbo bonito
não é nada delicado
nem muito menos 
romântico

mas é isso que sinto ser preciso 
procurar.

Extravasar.

Jogar longe todas as tristezas
de um só tapa

[no mesmo lugar]



Eliana Mora, maio/2017

sábado, 29 de abril de 2017

Ensaio sobre um Céu 'de Saramago'


Ensaio sobre um céu 'de Saramago'



Um céu branco
como fosse aquele céu do meu poema
um 'céu de Saramago'


figura que usei 
e que ao voltar 
altera
traduz nossa lembrança
e para

organiza a loucura
satiriza os danos

e aqui ficamos a esperar
por uma nesga

de azul



Eliana Mora, 28/04/2017

quinta-feira, 27 de abril de 2017

M i r a g e m


M i r a g e m



A sorte passara por aqui
pensava eu
ao recordar o quanto teu amor pinçou palavras
de lugares que rodavam
rodavam
esquecidas
aboletadas em vãos tristes e antigos


e se soltaram
sim elas 
as palavras
e tu chegaste a vê-las 
a ouvi-las 
apaixonar-se por elas
a fazer daquele ponto do deserto 
retrato perfeito de um encontro

momentos finos 

leves 
completos
miragem sem cor definida
local nem data 
marcados

ela
agora somos nós


[lembranças e palavras]



Eliana Mora, 31/12/2009

sexta-feira, 21 de abril de 2017

O poder de uma força


O poder de uma força



Enquanto sua vida declinava
naqueles instantes em que sua força parecia lhe faltar
ela pôde vislumbrar o que queria
distante estava
e no entanto em que segundo
[um átimo de segundo]
ela ao chorar foi tão sincera
disse apenas que chorava somente 

por ela

Era o instante em que temia por sua sanidade
e no entanto conseguia ser 

apenas ela

Sim
chorou por si
e assim sentiu a força 


da verdade




Eliana Mora, 21/04/2017

terça-feira, 18 de abril de 2017

A força da Aquarela



A força da Aquarela



As escadas de uma dor 
são circunflexas
caracoleiam em tua cabeça
circunvagueiam em parafuso 
no teu pensamento
como fossem telas abstratas 
de um pintor meio esquecido
que afixaste nas paredes

do porão 




©Eliana Mora, 08/07/2001 

[Baú]

domingo, 16 de abril de 2017

Longa Avenida



Longa avenida.




O choro dourado de um menino
[ali atrás]
mostra o tempo quase escuro
daquela manhã

que a qualquer momento
pode se transformar

em lucidez




Eliana Mora, 26/04/2017

quinta-feira, 13 de abril de 2017

V i d a


Vida



Por vezes nela penso como algo que tem asas 
unhas 

até dentes

Deusa
a quem nos vamos ofertar
e que ao transformar-se em obra-prima
torna-nos

escravos



Eliana Mora, sem data

domingo, 9 de abril de 2017

A m p a r o



Amparo



útero
ninho
porto
cais

e toda tristeza do mundo
se desfaz

ali
onde teu céu

te abraça



Eliana Mora, 9/04/2017

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Expresso sem número


Expresso sem número 




todo meu ontem
sai dos trilhos agora
e  ao que imagino
para tão cedo não voltar mais

sai dos trilhos
sai dos laços
sai de todos os fracassos
para se soltar
porque assim pode quem sabe
até mesmo encontrar


uma fronteira
uma trincheira
para que
sabe-se até quando
possa eu empurrar meu bonde
ou trem

expresso
impresso
colado
calado

[além]




Eliana Mora, 04/4/2017

Antigas cartas de Amor



Antigas cartas de Amor


Queria ver certas flores
como lírios das cartas de um poeta
Assim, por certo,
eu as reconheceria,
pelo brilho desértico das pétalas
pelas asas escondidas
pelas letras tortas
adocicadas

[por tudo que dizias]


Eliana Mora, 03/2012

sexta-feira, 31 de março de 2017

O c e a n o


Oceano



Um breve passo
e já estou lá
ao menos a imaginar
como seria voltar a sentir
aquela água macia
meio fria
de um verde azul
dos sonhos
de minha infância

Gosto da palavra oceano
oceano é amplitude
possibilidade
cor e festa
em quase tudo conseguir
ambiguidade

em cada gota
[vai saber]
o sonho líquido

da vida

e dentro dele
essa tal


felicidade 



Eliana Mora, 25/03/2017