quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Um texto conhecido


Um texto conhecido


A minha deixa
para tua volta
está no palco
- a renovar temores.


Recusa o tom
de séculos de estreia.


Eliana Mora, 08/12/2012

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Apenas sentindo o que ele quer dizer


Apenas sentindo o que ele quer dizer 



Quero doar meu coração
vesti-lo de presença e de carinho
sonhar com ele
voar
e mergulhar no rio
ele assim
desnudo
despudoradamente

Quero falar quando quiser
com ele
abraçar
dedicar-lhe poemas e canções


Sim 

eu quero
ouvir meu coração falar 

e 
mais que tudo


[ser amiga dele]



Eliana Mora 28/11/2016

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Lento traçado de uma estrada


Lento traçado de uma estrada 



o desvio
a carência
o fato
o hiato
a consciência

equação difícil
nua
contínua

a refletir
em nosso nome
as placas
e evidências

de todo o sofrer
[nosso sofrer]

de uma vida




Eliana Mora, 01/12/2016

sábado, 26 de novembro de 2016

E a consciência procura,.,.,.,.,.,.


E a consciência procura,.,.,.,.,



A onda quântica revela
que o ser humano
aos poucos
se direciona a planetas distantes
aquarela sonhos
mais e mais
revela ânsias de voar
mudar o centro
a gravidade
pensar em ritmo estelar

Seu pranto seca
voa
se armazena em todo limiar
onde pode
sem esforço
vislumbrar a cena
com que sempre ousou 

sonhar

[um abrigo]




Eliana Mora, 25/11/2016

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Afrescos da Memória


Afrescos da memória



Param mesmo
congelam
- e não voltam

Trabalha-se um véu
coberto de bordados
ali mesmo:
dentro da memória

e as cenas se desenrolam
como em edição 
de filmes

muito belas
rápidas
brilhantes


[são História]



Eliana Mora, 22/11/2016

domingo, 20 de novembro de 2016

Interrogação, sempre


Interrogação, sempre




O tanto que pensamos
no conteúdo
para além da forma

Pontes ou muros?
[again]



Eliana Mora, 20/11/2016

sábado, 19 de novembro de 2016

Ainda uma tentativa


Ainda uma tentativa



Vou subir.
Mas dentro de mim
estarei no Início da descida
da ladeira
quando poderei lavar minha alma
inteira
antes que a parte transparente
possa se contaminar

[para sempre]



Eliana Mora, 18/11/2016

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Respostas não há


Respostas não há



Vívida e febril
sobe as escadarias
aquelas em caracol
que por acaso deveriam levar àquele andar
[segunda,
terceira vez?]

Qual será o nome
o número daquela dúvida
essencial
que jamais será compreendida
ou explicada?

[e é assim que um amor chega ao final]




Eliana Mora, 11/11/2016

domingo, 13 de novembro de 2016

Um destino a Reverter


Um destino a reverter



A lua
partida em pedaços
se deslocou para a esquerda
depois para a direita
fez como se fosse cair
despencar
e o abismo ali estava

apareceu
em questão de segundos
como se estivesse ali
a esperar

antigas asas



Eliana Mora, 12/11/2016

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Metamorfose


Metamorfose




O dano

[mudo]
se gritar pudesse
inventava palavras e sons
para ser o revés do silêncio

Logo depois
desabrochava

[vestido de leveza]




Eliana Mora, 11/11/2016

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Fim da Expectativa


Fim da expectativa



Ela ficou ali
à espera da banda passar;
demorou...
não passou.


Então - ela foi ao cinema
assistir a um 'clássico'

[um filme 'Noir']




Eliana Mora, 09/11/2016

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Através das Brumas


Através das brumas



Enquanto os horizontes externos
se apresentam
ora sim
ora não
dentro do mundo de dentro
segue a luta com os enigmas
que pouco a pouco
na vida
passamos a desvendar
ora de forma pensada
ora na intuição

Quiçá pudesse ela

[a vida]
ser um pouco mais macia 
menos escorregadia
que assim 

cada vez mais fácil ficaria
o ato de pensar em um caminho
simples
e livre

[de todos os temores]




Eliana Mora, 26/10/2016