terça-feira, 14 de março de 2017

Natureza [humana]


Natureza [humana]



Praticar tua terra
no que toca à semente
ao plantio


Dever interno
qualidade
emotividade


Execução -pleito divino


[vida elemental]




Eliana Mora, 11/03/2017

segunda-feira, 13 de março de 2017

Zero Hora



Zero hora


Tiveste-me todo o tempo
o tempo todo

mas meus ponteiros
agora

recusam-se
a te marcar



Eliana Mora, 2001
Baú 

terça-feira, 7 de março de 2017

Novos 'Originais'


Novos 'originais'



A cópia da minha vida
terá muito pouco a ver 
com o original

...mas que original?
[perdi a conta dos que rasguei]

hoje faço - ou tento fazer -
rascunhos bem caprichados
riscados a bico de pena


traduções 
da minha alma

[o oposto de pequena]





Eliana Mora, 7/03/2017

Relógio de Dali


Relógio de Dali 




Dias estão a esperar
dias então a rolar
acima - e abaixo - do meu mar
que difere dos outros em tamanho de ondas
em sabor das ondas
em sal 
ardor e ar


[entendes?]





©Eliana Mora, 27/05/2010

sábado, 4 de março de 2017

A minha reza


A minha reza 



mais nova
não se move
não se fecha
não se esconde
não corre de mim
não desaba

mas se assusta
[ao menor sinal]





Eliana Mora, 04/03/2017

sexta-feira, 3 de março de 2017


Decisão precipitada



Atrás de luas em dobro
caminhei
na ponta dos dedos dos pés
silenciosamente

não tinha nenhuma ideia 
de como alcançá-las
sequer 
se existiam

Voltei
a ponta dos dedos inchadas
e com a certeza de um fato
essas luas poderiam estar 
quem sabe
bem aqui

E eu perdida
caminhando pelas trilhas de piratas
para nunca
[para sempre]
ser amada 

E ela ali
tranquila
muito perto de mim
dizia: 
olha eu aqui

a tua Lua Poesia!




Eliana Mora, 28/02/2017

quinta-feira, 2 de março de 2017

Para um desconhecido



Para um desconhecido




eu ia falar umas coisas
eu quis rabiscar umas linhas
mas sabe
não precisei
por que me toquei
de repente
que estavas tão longe
e calado
que a árvore da esperança
eu tinha  - apenas -
cortado




Eliana Mora, 2/02/2017

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Resposta ao Tempo



Resposta ao Tempo
  

O tempo pára aqui no vácuo dos meus braços
a pedir colo

e eu
como qualquer mulher que tenha dado à luz
respondo  sim
porque aqui 
não há como negar afeto assim 
a/feto

E a história o adormece

[v o l á t i l]



©Eliana Mora, 30/05/2008
[Baú]

Pequena confissão


Pequena confissão



Se fosses a Noite
te abraçaria
num instante bem longo
faria a noite alongar-se  a i n d a  mais

para só então
entregar-me

a ti




Eliana Mora, 11/02/2017

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Favo do Inconsciente


Favo do Inconsciente 



A casa dos meus sentimentos se parece 
com aquela morada de abelhas 
muitos buracos juntos 
uns dos outros 
sem que se possa mesmo distinguir porque 
ou quando 
cada um deles foi-se abrindo 
[ou se juntando]
e construiu um quebra-cabeças 
quase inviolável 


colado no mel 





©Eliana Mora - 1999

[Baú]

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

O Corpo [III]


O Corpo [III]


Se agora dormes
distante estou sonhos lacrados

Desperta para a vida que ressona em ti
[onde não tenho espaço]
visualizo abraço
como a tocar a pele do teu corpo 

que suave certeza tenho 
ainda é

Aos poucos os delírios acordada sinto
como se fácil fosse gritar 
e teu instinto despertar sem medo

Aponto a janela com meus dedos
atrás dela tudo vibra sente vive
podias ser um anjo ou pássaro a voar por ela
e de repente 

asas encostar em mim
ainda que estivesses transparente qual fumaça
teu peso sentiria


Aqui
orquídeas dormem

a te esperar



Eliana Mora, 06/04/2008

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Território ocupado



Território ocupado




País de mim
em que me encontro
e que me quer

Performance solo
até um tempo

qualquer



Eliana Mora, 05/02/2017

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Lavrador da palavra



lavrador da palavra



ali
acima
no alto do morro das sutilezas
os cantos de guerra
pairam

e tu
não os compra
passas somente a revelar-se 

a eles
como brisa da manhã



[antes do plantio]



Eliana Mora, 04/02/2017