segunda-feira, 29 de junho de 2020

A Nave Perfeita


A Nave perfeita


Ali
na montanha mais alta
ela pousou
quase um 'quê' de filme
Algo que já está em nosso imaginário
despertou


Ali
a nave
e eu a olhá-la
sem saber como não fantasiar
imaginar

O que me olhava?

Mas vi.
Era um homem
que se mostrou para mim
em sua beleza atômica
vasto cabelo castanho
olhar delicado

pele suave
lábios bem desenhados...

Esqueci de tudo
voamos para onde não sei
então vi
apenas um salão de baile
aceitei esse par meio invisível
que me abraçou
dançamos
[nunca mais imaginara dançar assim]


Renasci ali 
naquela nave
junto com o nascimento

de um amor



Eliana Mora, abril/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.

A Nave Perfeita

A Nave perfeita Ali na montanha mais alta ela pousou quase um 'quê' de filme Algo que já está em nosso imaginário despertou Ali a...