segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Linha da Palavra


Linha da palavra



A linha da palavra escorre
como ao corte de uma árvore frondosa
seiva sagrada
espumosa
a ferver
como que veia minha a explodir
sangue em minhas mãos
a desenhar a dor que sinto ou vi
para que surjam as letras sagradas
palavras-sementes
cavalos ardentes

em ato de amor




Eliana Mora, 31/12/2009

8 comentários:

  1. [esse meu retrato matinal, sempre que acordo e olho pela janela, só para sentir se o mundo mudou de lugar, se alguma folha caiu da árvore, se alguma telha se perdeu no telhado da casa em frente, se algum carro se aproxima na estrada distante... esse o meu mundo, com seiva pura da serra]

    um dez cem meus abraços, Eliana

    leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. Gosto da imagem da árvore e do cavalo. É como se uma fosse a semente da outra, e as duas, da poesia.
    Um beijo, Eliana.

    ResponderExcluir
  3. Linda poesia,cavalos ardentes! Em ato de amor.
    Beijão tudo de bom pra voce.

    ResponderExcluir
  4. ...o mundo continua, e continua em nossas mãos, em nossos dedos, com Poesia.

    beijo,
    El

    ResponderExcluir
  5. [e eu, das imagens que percebes, e sentes]

    obrigada e um beijo, José Carlos

    El

    ResponderExcluir
  6. Obrigada, Iracema!
    Feliz com tua visita!

    beijo!

    El

    ResponderExcluir
  7. A palavra pulsa - pulsão de vida.

    Gostei!

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.