sexta-feira, 16 de julho de 2010

O diferente Mar



O diferente Mar



Pousaram ali em concha
silenciosas
olharam à sua volta a procurar abrigo
algum feitio de quentura
abraço
um outro tipo de moldura

Eram apenas mãos no próprio colo
mãos
que ao se tornarem conchas
são agora de um mar diferente
mais quieto
sem tanta ondulação

Um mar
que espera



Eliana Mora, 28/11/2007

8 comentários:

  1. pacientemente, abrem-se as conchas na segurança de mansas marés, raras ressacas.
    bjs!

    ResponderExcluir
  2. olha, abri meu peito agora a espera dessas águas, que poema lindo, El

    beijo
    G

    ResponderExcluir
  3. Não sabes quão profundamente
    tomei tuas palavras
    em coração

    beijo, G

    El

    ResponderExcluir
  4. Líria, palavras gostosas...

    muitos beijos!
    El

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.