sábado, 25 de setembro de 2010

Prece noturna a um amor


Prece noturna a um amor



Encontra-me

para que um dia
possa eu dançar em meio a uma celebração de Reis
ou em qualquer folia

e te entregar eu possa
um dia o meu amor

aquele amor que um dia
foi por mim quase esquecido

aquele amor silencioso
adormecido

o meu amor
aquele amor por mim quase temido

lírico e perfeito
aquele amor

um tipo mesmo de amor
sem jeito



Eliana Mora, sem data
série Dedicadas

2 comentários:

  1. O sentimentos silenciosos, como reverência à folia de reis e à outras folias são como um conduto por que o poema percorre, alado e pleno.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. a reverência que a ti faço agora, ó silencioso 'entendedor'...

    beijo!

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.