terça-feira, 3 de abril de 2012

Alguma sensibilidade a mais

 

Alguma sensibilidade a mais



A luz bem fraca
ilumina o céu do teu amor
insistente
de intensidade morna
permanece 
como fosse guardiã de alguns trocados
até a próxima lua ou dimensão desconhecida
não se sabe quando - ou como
volta a aparecer

a luz que menciono
vem do céu do teu amor 

não possui asas
no lugar dos braços.



Eliana Mora, 03/04/2012

4 comentários:

  1. Olá!
    Com grande intensidade esta poesia falando do amor,com muita ternura e alma.
    Cheguei aqui através de blog dos amigos, e adorei,já estou a te seguir.
    Felicidades.
    http://wwwavivarcel.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um prazer conhecê-la, Fênix 27- obrigada pelas palavras...em breve estarei a te visitar, sem falta!

      Tudo de bom!

      um beijo, da El

      Excluir
  2. o amor há sempre de deixar uma tênue-eterna luz nos nossos braços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, e-terna
      ao tempo de nossa e-ternidade.

      beijos,
      El

      Excluir

Minha poesia agradece.