terça-feira, 10 de abril de 2012

A voz que não Sai




 A voz que não Sai




faca de mais de uma ponta
pele mais fina a sangrar
marca que nasce inquieta desponta
noite que acaba mas sem terminar
mente que tece os fios do nada
boca fechada
uma verdade não pode voar
[verdade amarrada]
mais densa que seja
por dentro dos lábios
insiste em ficar.



Eliana Mora, 23/3/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.