sábado, 12 de outubro de 2013

Um perfil a anos-luz de Mim





Um perfil a anos-luz de mim
 

amante das velas soltas
das revoluções
dos caramujos sem copa
das antenas que não servem para achar
esconderijo

das profusões
da retórica
ou somente da licença para destrinchar
palavras

dos altos
dos muitos baixos
do sol que teima em marcar
a minha 'pele de asno'

o encerramento do dia
a tarde quando lilás
a acusar sem dizer o quanto é bom divergir
reagir
constatar

o título indeciso
a qualidade do ventre
a multidão que aponta
o muito do que é capaz

a poeira do universo
a lata em cima da mesa
os figos a dança
o doce
a solidão e a beleza

a tudo assisto de longe
sem lidar com adeus nas tardes
sem casa de caramujo
esconderijo sagaz

nas estrelas 

a ouvir o canto dos meus neurônios
viagens
dias de agenda
ou tenda

[de amores fatais]



Eliana Mora, 22/8/13

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.