quarta-feira, 29 de julho de 2015

Um estranho Enredo


Um estranho enredo



Vaga do mar

vácuo no olhar

tudo o que dança

balança
e retorna 
mais cedo 
ou mais tarde
ao mesmo lugar

o nó

o centro
a palha
a falha

a vida se move

e dança
se espalha

em sua remota

função


[de brilhar]




Eliana Mora, 14/07/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.