quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Sempre o desejo de Vida


Sempre o desejo de Vida 



Sinfonia tão breve
tão mansa
oratório de tantas fragrâncias
e meus olhos ali
a olhar mas sem ver
todo um mundo de vários
abrigos
a sentir a morrer
e voltar 

[sei lá]
e seguir 

até onde puder vislumbrar
a data de sua 


alforria




Eliana Mora, 17/9/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.