sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Uma vida vale muito mais


Uma vida vale muito mais



uma vida não se dilui após sua passagem

fica para sempre
nos autos nos registros
de muitas e várias memórias em que permanece
porque ali deitou seus olhos
ali sentiu que era árvore
e conheceu os mistérios de criar

ali sim
ficam as recordações
nas árvores que crescem à sua volta
nas rimas e enredos de sua poesia
no trânsito cotidiano de suas palavras

ali
estóicas
ficam as bravas criaturas
que por amor a ela entenderam tudo

nela
puderam encontrar o canto definitivo
de uma alma que [cativa]
cativou
impressionou
até contrariou

e que não mais conhece o peso
do destino

[nem sabe mais o preço que pagou




©Eliana Mora, setembro/2009

4 comentários:

  1. Sim, El, com toda propriedade falaste: "uma vida não se dilui após sua passagem..." Somos todos, todos mesmo, imortais!

    Beijos muitos

    Ada

    ResponderExcluir
  2. Pois é, somos sim, e que assim sejamos considerados!

    beijão, caríssima!

    El

    ResponderExcluir
  3. Exactamente a humanidade e o mundo não ficam indiferentes à nossa passagem... a pegada fica, mais ou menos nítida, mais ou menos profunda...mas o que é realmente importante é a nossa pegada!

    Bjs

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.