quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Entre sonhos fluidos e danças místicas



Entre sonhos fluidos e danças místicas




não sei como nesta madrugada
quase a abrir os olhos

vi no escuro umas esferas
e um cinza prateado
a deslocar-se por meu corpo
numa dança enigmática

um balé cadenciado
como se muitas mãos lavassem pedras

e elas de repente

se orvalhassem


cadenciadas

as esferas terminavam por se deslocar do grupo

uma a uma

a formar bolhas quase transparentes

aveludadas

delicadas


místicas

rolavam no meu colo suavemente
numa dança de som medieval

lírica

vagarosa


[sensível




©Eliana Mora, 08/Fev/2011

2 comentários:

  1. Momento precioso este seu. Vim reler, pois já havia feito um comentário no outro dia, mas acho que não seguiu.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Aqui estás, isso é o bastante...

    beijo, El

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.