segunda-feira, 28 de março de 2011

As fontes e os vãos da minha Vida

As fontes e os vãos da minha Vida



estranhas fontes
privilégio e agonia
derramam-se no oco dos ouvidos
como que a relembrar amor antigo
desejo sublimado

anjos e demônios bem guardados

estranhos seres fluidos e cantantes
a murmurar mil códigos e liras
trechos de poemas dedicados
[entrelinhas de choro e de alegria

ao interromper a via dos lamentos
enfatizar memória de bons ventos
elevam quase às nuvens nosso ser
a nos valorizar em sustenido


cantem, pois, águas coloridas,
meu coração pretende amar não só as despedidas

mas todo tilintar de sentimento
que persistir - em riso ou em tormento

a costurar os vãos da minha vida.



Eliana Mora, 16/02/2011

4 comentários:

  1. Ei, inspiradíssima criatura, mergulhadora em águas profundas, isto ficou realmente lindo!
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Mas lindo mesmo é ler tuas palavras, mhelena; e que valor que dou, podes acreditar...

    beijo.

    ResponderExcluir
  3. o sabor das brisas brinda um novo tempo e a esperança ainda faz morada no amor. beijos...

    ResponderExcluir
  4. morada alegre
    veia colorida
    [esperança

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.