segunda-feira, 21 de março de 2011

O lírio e o último poema


O lírio e o último poema



um poema de amor num pergaminho escreveria
longo
quase uma Ode ao sonho que perdi

e antes de soltá-lo ao vento do deserto
recitaria de maneira teatral
vestes longas
sandálias cor de couro
sob as bençãos do deus Sol
tocha dourada

clave de sol como cenário
em lírio branco me transformaria
ao deitar-me nas areias

para acordar para sempre
uma divina flor



©Eliana Mora, 13/9/2008
do Baú para o dia Mundial da Poesia

2 comentários:

  1. sorver a última gota do lírio branco na sinfonia de uma aurora infinita; sobram as pétalas tatuadas no olhar.

    ResponderExcluir
  2. pétalas calmas
    rosadas, frescas
    como um sorriso...

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.