quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Acima de todo Arco-Íris


Acima de todo arco-íris



as minhas mãos vazias
pousam sobre o retrato antigo
tateiam devagar teu lindo rosto
como quem está a ler rimas em braille
de olhos fechados adivinho tudo
e com respeito de pintor por sua musa
deito–me a teu lado
para descansar e elevar a mente
até onde possam ver esses meus olhos
arco-íris dos teus
rios mares [por ti sempre]
navegados




Eliana Mora [El], 23/8/2011

4 comentários:

  1. Em alguns momentos não há mais nada lá fora, o que parece ter ido está conosco e nos pertence cada vez mais. Imagino quem tenha sido a inspiração deste seu lindo poema. Dá para sentir daqui este amor infinito.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. pois se imaginas é isso, mesmo
    [por vezes a inspiração nem parece que vem e vai...vive, sim, em nós]

    beijo, El

    ResponderExcluir
  3. eliana,
    obrigada por este presente.
    carrego comigo seu verso nesta noite enluarada :)

    beijos

    ResponderExcluir
  4. presente é ler-te, neste momento.
    [já é novembro]...

    beijos

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.