sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Em meio a algumas avalanches nem tão novas




Em meio a algumas avalanches nem tão novas



fosse eu chorar
aqui
agora
seria um choro de pedra
nela poderiam vir talhados
alguns dos meus mandamentos
com novas e nem tão sutis menções
ou elementos
parte de antigo arrastão sem fim de idéias
fissuras
idealizações
pedras sempre estiveram nos meus olhos
braços
pernas 
em formatos tanto iguais quanto diversos
sempre a mudar feitios e a criar novos 
invisíveis
[muitas vezes incomunicáveis]

universos



Eliana Mora, 29/12/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.