quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

As paredes, os teus olhos



As paredes, os teus olhos



nenhuma canção jamais pôde dizer
o que pode sentir
aquela que está quase a confessar
jamais de outro gostou
mas o amor
aquele amor que rasga
também não veio de ti
não confessa,
porque em sua cabeça o sonho
resiste

[porém seu coração
em outro espaço sibila]



Eliana Mora, 02/01/2012

2 comentários:

  1. .....e a alma segue a pleitear
    todas as buscas e achados


    beijos, Lázara!
    El

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.