sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Os olhos gravados de Mar

 

Os olhos gravados de Mar


Um rosto que se desfaz

lentamente
como a chama de uma vela
assim aos poucos
o calor dos olhos anestesiados
assustados

Cenas gravadas em fontes

salgadas como o mar:
um rosto, um rosto
- para sempre. 




Eliana Mora, outubro/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.