quinta-feira, 11 de julho de 2013

De silêncios, poemas e falares



De silêncios, poemas e falares



Por nossa boca o sofrimento
a questão louca
e toda a imensidão
em nossos sentimentos

na compreensão dos dissabores
na constatação da vida que se esvai
o canto sem pendores
que em belos sopros sai 
afinado
a carregar gotas de um riquíssimo
pálido orvalho

assim é
pelo dizer da poesia
pelo encaixar sem medo
da realidade na louca fantasia
vivemos a descoberto
de verdade

doçura in/válida que mostra ao mundo
o que está muito
muito bem

[guardado

 

Eliana Mora, 03/07/13

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.