quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

O dia que nascerá

 
O dia que nascerá



o sol
a planta que cresce
flores coloridas
a canção
a prece

o violão
[novamente em seu lugar]


música, pintura
poesia, devaneio

em tudo isso - o Amor

[precisa ainda explicar?] 



Eliana Mora, 1/1/14 
poesia naïf

2 comentários:

  1. Teu poema se desenha por cinco linhas e seis cordas, sem se explicar, renasce em páramos ideais e faz-se universo, janela aberta...

    Não, Eliana, o sentimento-que-por-si-se-basta não precisa de explicações. La poésie naïve non plus.

    Minha admiração de sempre, meu abraço e um beijo com muito carinho.
    André

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desenhado por ti, é ainda mais belo, em sua simplicidade de significâncias, André. Como é bom te ler...

      Tudo a mais, com muito carinho
      abraços e beijos.

      Eliana

      Excluir

Minha poesia agradece.