sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

A perseguir abismos e Destinos


A perseguir abismos e destinos



Nas malhas dos meus dedos
crescem espaços
que as letras não conseguem 

ocupar

luas e sóis misteriosos
guardam sons que precisam saltar
e (d)escrever a fonte 

dos abismos

perguntas onde estou
que não consigo perceber a face do inimigo
mas a fonte dos destinos

 - digo - não é lá

Outros caminhos me esperam

[então, vá!]


Eliana Mora, 14/2/14

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.