terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Nem precisa entender...


Nem precisa entender...


De onde viria aquele gesto
tão primário, necessário
elemental?

da minha sombra
esparramada junto a mim
braços abertos

olhos esbugalhados
tristeza e alegria juntas
[e ela nem é poeta]

Ou será?



Eliana Mora, 19/01/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.