domingo, 7 de agosto de 2016

De ventos, curvas e Revoadas


De ventos, cercas e Revoadas



Agreste
meu leste passarinho
me invade

como a tomar-me
lenta
quente
inexorável [mente]

Terra implacável
insone 
dolorida


deserta de choro 
e de vida

contudo
ainda a me cercar
a rodar 

e a dançar

[em mim]



Eliana Mora, 07/8/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.