quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Sempre o enigma


Sempre o enigma



À esquerda de quem vem
alguns faróis
à direita de quem vai
linda paisagem
e eu a me perguntar
qual o caminho
que poderá trazer vida
lançar redes no destino
anunciar [em som calado]
alguma outra volta
ou outra ida
que possa desvendar o sul
da estrada

Quase sempre
ao perguntar-me isso
fico sem saída

[e mais nada]




Eliana Mora, 10/8/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.