terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Ao apagar da luz - o velho canto


Ao apagar da luz - o velho canto




Depois de tudo
o teclado
o poema

o som de lágrimas e notas
a se espalhar por ali
onde ela chama 

poucas letras de um só nome

um nome cálido

pálida pérola a dançar
nos anéis de sua boca
assim
num pleito de ventura
num tênue lastro
de canção

em dias
e noites
desejos se espalham 

em plena luz do quarto

rosa lírica a pousar
no vão da obra

de Arte





Eliana Mora, 23/01/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.