sexta-feira, 30 de junho de 2017

Varinha de Condão


Varinha de condão



Escondo-me ali
e o desejo de estar atenta a tudo
de repente - passa
some
feito fumaça


e me vejo com a mente liberta
a voar
e desejar 

talvez tudo o que sobra pra pensar
nos momentos 

em que tocam sinos

e assim
sem ver mais nada
perguntar 

como pode um ser humano ser 
em sua essência

Hora de sentir 


[e de pensar]


Eliana Mora, 23/06/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.