domingo, 12 de julho de 2009




HABITE-SE



Habita meu coração
enquanto ainda vejo por aí um bom preço pela construção
pelo tijolo
pelo cimento
habita, porque a alegria de abrir uma porta pode ser
a de sentir um cheiro a mais
de ouvir um som

habita meu coração
porque tem feitio de uma flor bem resistente
[não sei se isso se parece com a gente
mas rubra ela é
e por ter sonhado a vida inteira com um jardim por plantar
sem mesmo esculturas no ar
mas com mangas da mangueira
doces gostosas
cheirosas
que tal manga arregaçar?

Habite-se em mim.
É assim.
Licença para uso está concedida há muito tempo.



Eliana Mora, 12/02/2009

4 comentários:

  1. Querida poeta Eli, excelente poema.
    Na época em que vivemos,em que a Natureza é desvastada pelo valor a metro quadrado ( para construção), este seu poema mostra que existe um lugar que jamais será
    avaliado pela matéria...o coração, onde sempre pode habitar a palavra mágica...Amor.
    Lindo.
    Bjis e uma flor.

    ResponderExcluir
  2. Bela comparação, Tecas - só posso dizer que gostei...e mandar-te um beijo.

    El

    ResponderExcluir
  3. Boa noite!
    "Caminhando"por este universo virtual,encontro o seu espaço...Encantei-me com as ilustrações em suas postagens e com os textos também.Parabéns por cada conteúdo!
    Fica com DEUS! Abraços e té+!

    ResponderExcluir
  4. De ti, um belo recado
    de mim, o abraço
    que [espero] te acompanhe.

    El

    [seja bem-vinda]...

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.