terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

M i r a g e m



m e g a r i M i r a g e m



a sorte passara por aqui
pensava eu
ao recordar o quanto teu amor pinçou palavras
de lugares que rodavam
rodavam
esquecidas
aboletadas em vãos tristes e antigos
e se soltaram
sim elas
as palavras

e tu chegaste a vê-las
a ouvi-las
apaixonar-se por elas
a fazer daquele ponto do deserto
retrato perfeito de um encontro

momentos finos leves
completos
miragem sem cor definida
local nem data
marcados

ela
agora somos nós: lembranças
e palavras.




Eliana Mora, 31/12/2009

4 comentários:

  1. Outro dia comentei no blog de um amigo que seu blog seria um oásis em meio a estes desertos internáuticos... creio que a beleza de um lírio num deserto seja da mesma proporção no contraste... belos textos... seguindo... ;)

    ResponderExcluir
  2. Lírios são belos por ondem andem, ou nasçam...
    Obrigada, Francisco, muito.

    El

    ResponderExcluir
  3. Assim, de 'ais' - e algo mais - vivem recordações de certos amores...beijo!

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.