quarta-feira, 17 de março de 2010

Melancolia



Melancolia



um homem
nos escombros

um bebê imaginário
reflexo de uma vida
de um passado

um sonho esmaecido
antigo
escravo

dormente
e alterado

[pela dor




Eliana Mora, agosto/2005

8 comentários:

  1. ... a solução me enche de chorume para dentro do colo...

    ResponderExcluir
  2. [dentro dum sorriso, existe por vezes um homem dorido, moido... que não desiste! "E que força é essa que trazes nos braços, que te põe de bem com os outros e de mal contigo?", já cantava o Sérgio Godinho...]

    um imenso abraço, Eliana

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  3. que bela a "Melancolia" de Dührer, não?

    beijo

    ResponderExcluir
  4. Sou um homem nos escombros, mas com o sol nos ombros.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Pena que o referido pintor não sabia...o quadro [certamente] ficaria mais belo...o poemeto, idem.

    beijo.

    ResponderExcluir
  6. A noite mora dentro de sua poesia soltando os fogos de artifícios de uma obra verdadeira. Abraços!

    ResponderExcluir
  7. De certa forma sim, para depois dar lugar à claridade, ao dia.

    obrigada e abraços.
    El

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.