sábado, 10 de abril de 2010

Receita de Oração



Receita de Oração




Se eu pudesse me sentir Ave e Maria
já de princípio voaria
para o céu

complementava concentrando a energia
em uma tina
para clarear um véu

confeccionava um manto raro
com meu pranto

e usava o véu
para cobrir

o meu espanto




©Eliana Mora, 06 de fevereiro de 2000

In: Mar e Jardim, 2003

12 comentários:

  1. [todo o céu possível, todo o oratório azul e dourado do dia, marcado na poesia]

    um imenso abraço, Eliana

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. Vivemos de espanto. Seu poema bem o diz. Necessitamos da oração, tamanha a nossa dor.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Ave e Maria transformar-se-iam em pássaro...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. O que chamo de probabildade e escolha. Do que era provável, a escolha primou pelo correto.

    Muito bom!

    :)

    ResponderExcluir
  5. todo o céu
    para que 'nosso céu 'veja' adiante...

    a ti, idem

    ResponderExcluir
  6. um pássaro totalmente transparente, quase invisível


    beijo.

    ResponderExcluir
  7. cor-reto-fui
    meio torta, cheguei

    beijo!

    ResponderExcluir
  8. José Carlos, o espanto nasce com a gente, nem sei se dá conta de toda dor. De vez em quando abre a boca [ele mesmo], e ensaia um quase sorriso...

    beijo.

    ResponderExcluir
  9. Eli, vc voa, clareia e espanta com sua poesia

    =)

    beijo,
    G.

    ResponderExcluir
  10. Mas Geraldo! Acabas deixar-me boba com tuas palavras, saídas direto do poema para um lindo, lindíssimo, comentário.

    beijo!

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.