quinta-feira, 27 de maio de 2010

Relógio de Dali


Relógio de Dali




Dias estão a esperar
dias então a rolar
acima - e abaixo - do meu mar
que difere dos outros em tamanho de ondas
em sabor das ondas
em sal
ardor e ar


[entendes?




©Eliana Mora, 27/05/2010

8 comentários:

  1. O tempo não era o tempo
    de tão antigo.

    Os relógios perdem a forma
    na paisagem
    da minha alma.

    ResponderExcluir
  2. Me gusta este poema, parece que lo has escrito en una barca, sobre las olas. He sentido hasta que flotaba.

    Abrazos

    ResponderExcluir
  3. Claro que entendemos: o seu tempo é único! abraço

    ResponderExcluir
  4. mas ganham significados
    em ponteiros bem calados
    [sutis


    beijo, Brandão

    ResponderExcluir
  5. Misas

    Bela tua deducão, quem sabe numa barca imaginária??

    beijos, gracias

    ResponderExcluir
  6. sim, único:
    em vagas, em facas
    em tiras de céu

    beijão, Pedra!

    ResponderExcluir
  7. mar de sabor, perfume e ondas...
    mar de espera sem tempo.

    ResponderExcluir
  8. sem/sível
    [algo meio lembrança]


    beijo.

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.