sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Vi uma Noite




"Nossa existência é transitória como as nuvens do outono. Observar o nascimento e a morte dos seres é como olhar os momentos da dança. A duração da vida é como o brilho de um relâmpago no céu, tal como uma torrente que se precipita montanha abaixo."

Siddharta Gautama [Buda]



Vi uma Noite



nela vi o mergulho
de uns sóis de brincadeira

vi em meu rosto as águas
dos rios que salvei daquela noite
quando perdi
minh'alma inteira

de sorte que permaneci meio pessoa
meio um ser

de asas




Eliana Mora, sem data

2 comentários:

  1. [tão transitório, tão eterno o nosso olhar, para tudo o em nós se compreende e que para além de nós irá permanecer]

    um imenso abraço, Eliana

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. [sim, permanecer sob distinta forma, a pairar, conta gigante, olho do céu]

    obrigada e um beijo.
    Eliana

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.