quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Olhares, caminhos e sentidos


Olhares, caminhos e sentidos



Sei dos meus olhos de folha
quase ilhas de sonhar.
Nesse vai-e-vem de mar
ao abri-los já movi montanhas belas,
pintei no rosto teu enormes aquarelas.
percorri degraus compridos e brilhantes:
dancei com pássaro, em mar de diamante.


[trilhas do meu des(a)tino, cheiro de mato e de flor]



Eliana Mora, 15/9/2011

2 comentários:

  1. Olhar e mar, caminhos e sentidos... Esta poesia que que tudo permeia.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. se tudo é revestido de mistério, e nós até gostamos disso, querida poeta...

    beijos
    El

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.