quarta-feira, 2 de novembro de 2011

De planetas e desenhos Novos


De planetas e desenhos novos


movem-se hoje dentro em mim
sem natureza sem identificação
pedaços nada sólidos
espécie de matéria a que falta o molde
verdadeira planície que não sabe
mas sumirá na chuva
para emergir na pele de um planeta estranho
coberto por domínios muito pouco
conhecidos

planeta de terra água ar e cobre
gênese nobre
desarrumados feitios

talvez nasça de um ris(c)o de criança
desenho bem primário
do que poderia ser
um dia
um eu de mim.





Eliana Mora, 02/11/2011

4 comentários:

  1. [renascida na palavra,

    a primeira das manhãs do mundo,
    o eu novo e secreto]

    um imenso abraço, Eliana

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. toda tua sensibilidade nesta 'primeira manhã'
    [assim seja]

    beijo,
    El

    ResponderExcluir
  3. Oi, Eliana,

    Tão bom passar por aqui...senti-me um astronauta viajando pelo espaço!

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Obrigada, seja sempre assim! Importante na poesia é 'tocar'.

    beijo.

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.