segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Sabor das Pedras







Sabor das Pedras
 
 
 
Adoro saber das pedras
dos acúmulos
das coisas que se fartam de existir
de trespassar o tempo
de atropelar paisagens
mudar seu perfil
salvar
ater
ou apenas deixar-se levar
ou deixar-se morrer
 
adoro saber que um dia tu ficaste como pedra
frágil
parado perdido
alado
a observar o tempo que vivi
para viver o teu amor
 
poder viver um outro tempo que não finda
e para (d)escrevê-lo assim
em versos úmidos cálidos
vermelhos
só relembrando os morangos de Bergman
 
perfeita metáfora
de mim
 
 
 
Eliana Mora, 08/01/2010

2 comentários:

  1. [dentro da palavras, a pedra que se "guarda para construir castelos", horizontes maiores na letra construídos]

    um imenso abraço,

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. Pois a pedra representa e vai além, a 'carregar' com sua figura peculiar [que se (d)reforma a todo tempo] - algo do tanto que somos nós...


    Abraço e beijo,

    Da El

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.