sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Pequena ode à dor de uma Verdade


Pequena ode à dor de uma Verdade



limpa
como que lustrada
a arrepiar o tempo
ela paira
sobre tudo

escura e clara
aberta
trancada


ali sempre estará
o  verdadeiro medo

[de nós mesmos]




Eliana Mora, 09/09/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Minha poesia agradece.