domingo, 6 de dezembro de 2009

O lírio e o último poema


O lírio e o último poema



Um poema de amor num pergaminho escreveria
longo
quase uma Ode ao sonho que perdi
e antes de soltá-lo ao vento do deserto
recitaria de maneira teatral 
vestes longas sandálias cor de couro
sob as bênçãos do deus sol
tocha dourada
clave de sol como cenário

em lírio branco me transformaria ao deitar-me nas areias
para acordar para sempre

uma divina flor



©Eliana Mora, 13/9/2008

4 comentários:

  1. [onde esta praia? onde esta maré quase abandonada? que marcas do mar que se afoga em todos os nossos princípios?]

    um imenso abraço
    com o mágico carinho da amizade

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. longe
    depois do vai-e-vem de um mar de ondas
    atrás
    adiante
    onde a vista não possa enxergar
    [apenas pressentir


    com mais e mais carinho,

    El

    ResponderExcluir
  3. Lindos. Esse, de um lirismo e tanto. E "Maré" que tem um tom especial, de ternura.

    ResponderExcluir
  4. Nolli, teu "canto" à Poesia enleva...faz bem!

    beijo, bom vê-lo por aqui.

    El

    ResponderExcluir

Minha poesia agradece.