segunda-feira, 17 de março de 2014

Mapa de um Amor




Mapa de um Amor



Rio, mar
fonte e desvario meu
de todo dia
enquanto ouço em mim

seu ritmo quase de canção
sorrio


Assim me escondo 

e me defendo do insistente frio
em minhas mãos
gerado 

e concebido no dever
no mapa de conter no amor
os vãos

Percebo, todo dia
linha de horizonte iluminada
beleza curiosa
nobre e fatigada
a carregar vultos da saudade,
da partida
e preservar seus brilhos 


São todos cantos exclusivos 

planejados, desenhados 
e queridos
de meu norte, do meu forte 
raiz e sorte

[de uma Vida]



Eliana Mora, 17/3/2014

2 comentários:

  1. Não sei, pode haver exceção mas,
    as grandes poetisas não enfeitam muito
    seus blogs, apenas inserem neles
    o conteúdo precioso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim é claro, isso. Mas deve variar [sei lá] com a pessoa, não?
      Obrigada pelo elogio inserido aqui, assim, 'de leve'.

      Abraços.

      Excluir

Minha poesia agradece.